quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Feira do Livro de Belém, Lisboa/Feira do Livro no Palácio de Cristal, Porto - Saída de Emergência

Sessões de Autógrafos



Palácio de Belém, Lisboa

Sábado, 3 de Setembro

15h00 – Sessão de autógrafos com Isabel Ricardo, autora da Colecção Juvenil Os Aventureiros e do romance histórico A Revolução da Mulher das Pevides – Auditório/Lounge

16h00 - Sessão de autógrafos com Maria Helena Ventura  autora do romance histórico Conheces Sancho? – Auditório/Lounge

17h00 - Sessão de autógrafos com Mário Cordeiro autor de Príncipes da Medicina e do romance Quanto tempo faltará para o Abismo? – Auditório/Lounge



Palácio de Cristal, Porto

Sábado, 3 de Setembro

17h00 – Sessão de autógrafos com Renato Fontinha autor do romance histórico A Capital do Mundo – Stand SDE

Sábado, 10 de Setembro
17h00 -  Sessão de autógrafos com Isabel Ricardo, autora da Colecção Juvenil Os Aventureiros e do romance histórico A Revolução da Mulher das Pevides – Stand SDE

Domingo, 11 de Setembro
17h00 - Sessão de autógrafos com Daniela Ricardo autora de Viagens da Comida Saudável  - Stand SDE

Sábado, 17 de Setembro
17h00 - Sessão de autógrafos com Mário Silva Carvalho autor do romance histórico A Tomada de Madrid – Stand SDE

Domingo, 18 de Setembro
17h00 - Sessão de autógrafos com António Breda  autor do romance histórico Filhos de Salazar – Stand SDE

Feira do Livro de Belém - Grupo BertrandCírculo

Sessões de Autógrafos
2 de Setembro

18-19 HORAS
Álvaro Laborinho Lúcio, autor de «O Chamador», editado pela Quetzal Editores


3 de Setembro

16-17 HORAS
Bruno Vieira Amaral, autor de «As Primeiras Coisas», editado pela Quetzal Editores, Prémio Literário José Saramago 2015, Prémio Literário Fernando Namora 2013, Prémio PEN Clube Narrativa 2013, Livro do Ano 2013 | Revista Time Out e Prémio Novos 2013, na categoria Literatura


4 de Setembro

Em HORA a confirmar
Manuela Gonzaga, autora de «Xerazade – A Última Noite»; «Moçambique, para a Mãe se Lembrar como Foi», «Imperatriz Isabel de Portugal», «Meu Único Grande Amor: Casei-me» e «Doida Não e Não! – Maria Adelaide Coelho da Cunha», editados pela Bertrand Editora

Feira do Livro de Belém - Planeta Editora

Sessões de Autógrafos


3 de Setembro

16 HORAS

Manuel Maria Carilho

Sérgio Luís de Carvalho

Frederico Duarte Carvalho

Vergílio Alberto Vieira


17 HORAS

Cristina Carvalho

Claudia Clemente

Alice Brito

Gabriel Magalhães


18 HORAS

Pedro Almeida Vieira

Fausta Cardoso Pereira


21 HORAS

António Mateus


4 de Setembro

16 HORAS

Maria Inês Almeida

Alexandre Honrado


17 HORAS

Eduardo Pitta


18 HORAS

Susana Mota

Alexandre Fernandes

Marta Mertens

Sara de Almeida Leite


19 HORAS

Miguel Real

Sofia Empis

Citação do Dia - 31 de agosto de 2016

"A arte oferece-nos a única possibilidade de realizar o mais legítimo desejo da vida - que é não ser apagada de todo pela morte."
Eça de Queiroz

terça-feira, 30 de agosto de 2016

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Novidade da Planeta - "A Rapariga do Calendário: Julho, Agosto e Setembro" (A Rapariga do Calendário #7-9)

Novidade da Editorial Planeta
7 de setembro

A Rapariga do Calendário
Livro 3 - Julho . Agosto . Setembro
(A Rapariga do Calendário #7-9)



De Audrey Carlan

Sinopse:


     A vida de Mia Saunders continua neste terceiro livro perversamente escaldante da série A Rapariga do Calendário! Nestes três meses, Mia desloca-se a Miami, ao Texas e à sua terra natal, Las Vegas.

     Em Julho, será sedutora num videoclip do artista de hip-hop, com discos de platina, Anton Santiago. A recuperar do trauma sofrido em Junho, a nossa rapariga abre o coração e descobre que correr riscos lhe concederá o que sempre desejou, necessitou e muito mais.

     Em Agosto, Mia viaja para o Texas vestindo a personagem e representando o papel da irmã perdida do magnata do petróleo e importante homem de negócios Maxwell Cunningham. O trabalho devia ser canja, só que são revelados segredos do passado que mudarão o que sempre acreditou ser verdade.

       Em Setembro, Mia parte para a sua Sin City, onde o mundo à sua volta parece desmoronar-se. As pessoas que ama travam batalhas para as quais não está preparada, mas que se sente desesperada para resolver antes de perder tudo.

       Uma série sedutora, doce e tão escaldante que o seu livro pode derreter.


12 Meses. 12 Clientes. 1 Amor

     Audrey Carlan é autora best-seller do New York TimesUSA Today, e Wall Street Journal. Escreve histórias de amor sensuais e eróticas de forma a dar ao leitor uma experiência romântica e sexy. Vive em California Valley com os dois filhos e o amor da sua vida. Quando não escreve, ensina ioga, bebe vinho com suas souls sisters ou está com o nariz enfiado num romance ímpio.


Opinião da Imprensa:

"Fresca, divertida, e incrivelmente sexy, a série A Rapariga do Calendário vai fazer com se apaixone uma e outra vez e morra de ansiedade por ler o próximo volume."_Meredith Wild, autora da série Hacker, nº1 do The New York Times



#52 - Dá-lhe Letras

Autor: Jo Nesbø 

__     B __ __ __ C __      D __      __ __ V __


Qual é o livro?

Citação do Dia - 29 de agosto de 2016

"A arte, para os que não se enclausuram todos nela como nos muros de um mosteiro, poetiza singularmente a existência."
Eça de Queiroz

domingo, 28 de agosto de 2016

Citação do Dia - 28 de agosto de 2016

"É monstruoso dizer-se que o artista não serve a humanidade. Ele foi os olhos, os ouvidos, a voz da humanidade. Sempre foi o transcendentalista que passava a raios X os nossos verdadeiros estados de alma."
Anais Nin

sábado, 27 de agosto de 2016

#34 - Encapados




Qual é o livro?

Citação do Dia - 27 de agosto de 2016

"A arte serve a beleza, e a beleza é a felicidade de possuir uma forma, e a forma é a chave orgânica da existência; tudo o que vive deve possuir uma forma para poder existir, e, portanto, a arte, mesmo a trágica, conta a felicidades da existência."
Boris Pasternak

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

#19 - Pistas Literárias

Pistas:

      - O autor nasceu em Indianopolis, Indiana e, três semanas depois do seu nascimento, os seus pais mudaram-se para o Michingan, depois para Birmingham, Alabama e, por fim, para Orlando, Florida. Também é conhecido pelo canal de Youtube que tem com o irmão.

    -  O protagonista, um ex-menino prodígio, apaixonou-se dezanove vezes por dezanove raparigas que tinham o mesmo nome, e todas elas lhe deram com os pés.

     - Para evitar ter o coração novamente destroçado, o protagonista decide inventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso.


Qual é o livro?

Citação do Dia - 26 de agosto de 2016

"A tarefa actual da arte é introduzir o caos na ordem."
Theodore Adorno

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Divulgação: "A Elite" (A Seleção #2) - Marcador

Publicado pela Marcador Editora 

A Elite
(A Seleção #2)



De Kiera Cass

Sinopse:


    A Seleção começou com 35 raparigas. Agora, com o grupo reduzido a 6, a Elite, a competição para conquistar o amor do Príncipe Maxon é mais feroz do que nunca. Quanto mais perto America se encontra da coroa, mais se debate para perceber onde está verdadeiramente o seu coração. Cada momento que passa com Maxon parece um conto de fadas, instantes cheios de romantismo avassalador e muito glamour. Mas sempre que vê Aspen, o seu primeiro amor, é assaltada pelo desejo da vida que tinham planeado.

     America anseia por ter mais tempo. Mas enquanto se sente dividida entre dois futuros, o resto da Elite sabe exatamente o que quer e a oportunidade de escolha de America está prestes a desaparecer.

Muitas candidatas. Apenas uma coroa.
35 candidatas chegaram ao palácio. Apenas 6 permanecem.

    Kiera Cass cresceu na Carolina do Sul e é formada em História pela Universidade de Radford. Atualmente, vive com a sua família em Christiansburg, na Virgínia, EUA. A trilogia A Seleção colocou-a no primeiro lugar da lista de livros mais vendidos do The New York Times. Nos tempos livres, gosta de ler, dançar, fazer vídeos e comer quantidades excessivas de bolos.



Opinião da Imprensa:

"Personagens de temperamento forte, a recordação de um amor proibido deixado para trás e um triângulo amoroso que nos toca o coração"_Publishers Weekly

"Um verdadeiro conto de fadas. Encantador, cativante e com a quantidade certa de emoção!"_Kiersten White, autora bestseller do The New York Times


Citação do Dia - 25 de agosto de 2016

"O fim da arte é quase divino: ressuscitar, se faz história; criar, e faz poesia."
Victor Hugo

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Opinião sobre "A Rapariga do Calendário: Abril, Maio e Junho" (A Rapariga do Calendário #4-6) - Audrey Carlan

A Rapariga do Calendário
Abril. Maio . Junho
(A Rapariga do Calendário #4-6)
(Artigo de Opinião)


Autora: Audrey Carlan
Título Original: Calendar Girl - Abril, May, June (2015)
Tradução: Mário Dias Correia
ISBN: 978-989-657-803-9
Nº de páginas: 368
Editora: Editorial Planeta

ATENÇÃO: esta opinião pode conter spoilers de livros anteriores

Sinopse


      A jornada de Mia Saunders, acompanhante por força das circunstâncias, continua neste segundo volume de A Rapariga do Calendário! Nos três meses que se seguem, Mia viaja para Boston, Oahu e Washington DC.

    Em Abril, faz-se passar pela namorada do mulherengo Mason Murphy, um jogador de basebol profissional que precisa de melhorar a sua imagem, e acaba por descobrir que ele não é exactamente aquilo de que estava à espera.

      Maio encontra Mia a incendiar o sangue de Tai Niko, modelo fotográfico e intérprete da dança do fogo samoano, enquanto participa numa campanha publicitária que tem como objectivo demonstrar que a beleza não é uma questão de tamanho.

    Em Junho, a missão de Mia é servir de enfeite de braço a Warren Shipley, membro do grupo conhecido como Um por Cento. Enquanto finge ser uma caçadora de fortunas, descobre que Warren tem de facto um coração de ouro. Pena é que o atraente filho, Aaron, senador pela Califórnia, não seja em nada parecido com o pai.

Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela Editorial Planeta em troca de uma opinião sincera

Opinião


       Começo por agradecer à Editorial Planeta pelo gentil envio do livro.


     Depois de um divertido primeiro volume onde conhecemos o inesquecível surfista e guionista Weston Channing III no mês de Janeiro, o charmoso pintor francês Alec Dubois em Fevereiro e os divertidos Anthony Fasano e Hector Chávez em Março, chegam três novos meses com muitas surpresas e pessoas novas à vida de Mia.

     Mia prossegue a sua jornada para arranjar dinheiro para saldar as dívidas do pai em Boston, onde finge ser a namorada de Mason Murphy - a jovem estrela de basebol dos Red Sox. Mason é um rapaz com fama de mulherengo, que gosta de dar nas vistas - muitas vezes pelos piores motivos -, mas que tem um coração bondoso. Inicialmente, pensei que a autora poderia recorrer a clichês de desportistas neste mês, algo que, felizmente, não se verificou. Carismático e carinhoso, Mason foi uma personagem que me conquistou, principalmente pela sua intervenção num outro capítulo.

     Maio é um mês mais romântico e quente, mas que, na minha opinião, não tem grande história, para além de considerar ainda o final um pouco forçado. Mia vai para o Havai para ser modelo de uma campanha de fatos de banho para corpos reais, e conhece Tai Niko, um modelo fotográfico que lhe apresenta os lugares mais belos da ilha. Podemos encontrar bastante sexo neste mês, que é contrabalançado pelas paisagens deslumbrantes do Havai que a autora nos apresenta, e pelas informações sobre a cultura samoana. Este acaba por ser um mês mais calmo, num local paradisíaco, mas que, como disse, não tem uma história particularmente marcante, apesar de Tai ser um homem íntegro e virtuoso.

    Em Junho, Mia parte para Washington DC para acompanhar Warren Shipley, um homem com idade para ser pai dela, em várias reuniões do grupo Um Por Cento. Este foi o mês de que mais gostei, não só por causa dos temas retratados - as relações e os interesses entre pessoas influentes e a necessidade de "enfeites de braço" para obter credibilidade, os valores de justiça e a vontade de melhorar a vida dos outros - mas também pela reviravolta que encontramos no final. Foi interessante ver a Mia num ambiente a que não está habituada e que não a deixa confortável, apesar de ela dar o seu melhor à causa que a levou ali.

   Agradou-me o facto de voltar a encontrar algumas personagens do primeiro livro, mesmo que por vezes apenas mencionadas, sem parecer um reencontro forçado, e de ver que as diferentes experiências protagonizadas em cada mês deixam marcas, muitas vezes positivas, na vida de Mia. Ela apercebe-se que, afinal, este ano não se está a revelar um sacrifício tão grande como pensou. Mia tem tido um leque de clientes bastante eclético, e com todos tem aprendido algo que a faz ser uma pessoa melhor e mais confiante; e, o mais importante, têm-na feito sentir-se especial e amada, têm-se tornado família.

    Audrey trata cada mês com uma abordagem diferente, o que permite, não só, que o leitor não se canse da premissa mas, pelo contrário, que anseie descobrir o que virá a seguir. Continuamos a encontrar diversas personagens secundárias em cada mês, o que é óptimo, pois ajuda a dar alguma profundidade à história. É mantido o registo informal no relato da protagonista, sendo que, no geral, predominam cenas divertidas e românticas. No entanto, gostei também de ver o lado mais sério de Mia e o seu sentido de justiça, para além da incansável preocupação com o bem-estar da irmã mais nova e das pessoas que ama.

    A relação da Mia com Maddy, a irmã mais nova, é de pura dedicação e devoção, o que faz com que tenha alguma dificuldade em aceitar que a irmã cresceu e que já não precisa tanto dela. Mas, para ser honesta, acho que a Mia nem sempre é correta na sua amizade com a Ginelle, uma vez que, por diversas vezes, a deixa em segundo plano. Sabemos que não o faz por mal - a ternura e o companheirismo que as une são verdadeiros e incontestáveis -, mas gostava de a ver dedicar mais tempo à melhor amiga porque, bem vistas as coisas, passa grande parte do dia desocupada - e, mesmo assim, parece nunca ter tempo.

    O Wes continua a ocupar um importante lugar no coração da Mia, embora esta se sinta frequentemente perdida nos seus sentimentos e baralhada, sem saber que caminho tomar nem que escolhas fazer. A protagonista não consegue lidar convenientemente com o facto de o Wes se encontrar com outra pessoa, pois tem um claro medo de o perder. É bom ver também este lado mais vulnerável da Mia, - os seus medos e divagações - pois torna-a mais autêntica e real.

      Esta é uma série onde reina a descontracção e que proporciona uma leitura rápida, quente, divertida e fruitiva, prendendo o leitor logo nas primeiras páginas. Embora gostasse de ter visto algumas situações melhor exploradas e de haver alguns pormenores menos bem conseguidos, fiquei muito satisfeita com o percurso trilhado pela Mia neste segundo livro, para além de as histórias nele narradas ainda deixarem um alerta para algumas situações atuais mais preocupantes. Resta-me aguardar com muita curiosidade o terceiro volume, correspondente aos meses de Julho, Agosto e Setembro, ansiosa por saber o que o futuro de Mia lhe reserva. Gostei muito!

 Opinião sobre outros livros de Audrey Carlan:

 Música que aconselho para acompanhar a leitura: We Can't Stop_Miley Cyrus

Citação do Dia - 24 de agosto de 2016

"A ciência descreve as coisas como são; a arte, como são sentidas, como se sente que são. O essencial na arte é exprimir; o que se exprime não tem importância."
Fernando Pessoa

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

#51 - Dá-lhe Letras

Autor: Jojo Moyes

__ M     __  __ O __ __ __ O      __ A      __ O __ __ E


Qual é o livro?

Citação do Dia - 22 de agosto de 2016

"Ninguém alguma vez escreveu ou pintou, esculpiu, modelou, construiu ou inventou senão para sair do inferno."
Antonin Artaud

domingo, 21 de agosto de 2016

Citação do Dia - 21 de agosto de 2016

"O apreço exterior pela arte é a sobrecasaca da inteligência. Quem se quererá apresentar diante dos seus amigos com uma inteligência nua?"
Eça de Queiroz

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Novidades da Saída de Emergência para Agosto

"O Hotel das Recordações", de Nora Roberts

Primeiro volume da Trilogia Hotel das Recordações 

O histórico hotel de Boonsboro já viveu tempos de guerra e paz e teve inúmeros donos ao longo do tempo. Agora prepara-se para ser reinaugurado pelos irmãos Montgomery. Beckett, o arquiteto da família, está determinado a finalizar as grandes obras, mas a sua vida atarefada não o desvia de um outro grande objetivo: atrair a atenção da mulher por quem está apaixonado desde a adolescência.
Depois de perder o marido e regressar à sua terra natal, Clare Brewster cedo se adapta à sua nova vida como mãe de três filhos e gerente da livraria da cidade. Com pouco tempo para uma vida romântica, Clare acaba por ser envolvida nos preparativos do novo hotel e deseja conhecer melhor o homem por trás dele.
Enquanto não chega o dia da inauguração, Beckett e Clare conhecem-se melhor e sentem a crescer entre eles o início de algo novo… Irá abrir-se nas suas vidas a janela para um futuro juntos?

"Órfão X", de Gregg Hurwitz

Um thriller moderno ao melhor estilo dos livros de Bourne Identity. 

O Homem Mistério é uma figura lendária cujo nome é sussurrado pela calada. Diz-se que quando os mais desesperados recorrem a ele, o Homem Mistério fará tudo para os proteger e salvar. Mas ele não é nenhuma lenda.
Evan Smoak é um homem de imensas capacidades, empenhado numa missão pessoal de ajudar quem já não tem para onde se virar. É também um homem com um passado perigoso. Foi escolhido em criança para fazer parte do programa Órfão X, um programa especial de treino destinado a criar assassinos perfeitos. Ele era o Órfão X, mas Evan usou tudo o que aprendeu para desaparecer do mapa.
Agora alguém lhe move uma perseguição. Alguém com os mesmos talentos e treino que Evan. E que irá explorar de forma implacável o ponto fraco de Evan – o seu próprio trabalho como Homem Mistério – para o encontrar e eliminar. Conseguirá ele enfrentar os seus adversários e recuperar a sua vida?

"Britannia", de Simon Scarrow

Britânia romana, 52 d. C. As tribos ocidentais preparam-se para firmar uma posição, mas conseguirão elas igualar a disciplina e coragem dos legionários?
O centurião Macro, ferido em combate, é deixado para trás como responsável por um forte, enquanto o Perfeito Cato lidera uma invasão nas montanhas. A missão de Cato: esmagar o baluarte dos druidas e assim cimentar o triunfo de Roma. Mas com a chegada do inverno, o terreno torna-se impossível de atravessar com a chuva e as tempestades de neve.
E quando as patrulhas de Macro relatam que os nativos próximos do forte são pequenos em número, uma suspeita terrível apodera-se da mente do soldado. Terá o Governador no poder, o Legado Quintato, subestimado o inimigo? Um plano sofisticado e letal poderá já estar em marcha pelos nativos e serão Cato e os seus homens a pagar um preço elevado… Conseguirão os nossos heróis enfrentar a astúcia de um inimigo que tudo fará para não se vergar perante o poderio de Roma?


Novidades da Marcador para Agosto - Parte I

"A Terapeuta", de Gaspar Hernàndez

SEM MEMÓRIA
NINGUÉM É CULPADO

Hèctor Amat, um actor famoso que sofre de ataques de ansiedade, vê-se envolvido num terrível crime. Sem saber como, nem porquê, aparece num parque de estacionamento, junto de uma mulher assassinada. Por mais que se esforce para reconstruir os seus passos, não consegue lembrar-se do que aconteceu.

O tempo e a investigação não jogam a seu favor, por isso, Héctor decide pedir ajuda como derradeiro recurso para recuperar a memória. Visita então o consultório da psicóloga Eugénia Llort, a terapeuta que o atendeu depois do crime. Esta relação, num primeiro momento profissional, vai-se convertendo num relacionamento de dependência, que atingirá limites nada usuais. Para que Hèctor possa representar, a psicóloga vai todas as noites ao teatro onde ele interpreta Dick Diver, o protagonista de Terna É a Noite, tal como a sua personagem, um psicólogo que se apaixona por uma paciente, também ele acaba por se apaixonar perdidamente pela terapeuta.


"Porque Sofrem As Pessoas Inteligentes", de Eric Maisel

Este livro é de leitura obrigatória para pais de crianças dotadas, assim como para os milhões de pessoas inteligentes e criativas que procuram uma vida com mais sentido.

O psicólogo Eric Maisel decidiu, há anos, através do seu trabalho, identificar os desafios que pessoas com estas características enfrentam com frequência, pessoas como investigadores científicos, génios galardoados, escritores de sucesso, autores da Broadway, advogados poderosos, académicos, etc. Entre esses desafios detectados incluem-se a ansiedade, excesso de reflexão, mania, tristeza e desespero.

Desta investigação levada a cabo com as mentes mais inteligentes e brilhantes, Eric Maisel, percebeu o quanto estes desafios podem ser, muitas vezes, devastadores, e como tal, decidiu procurar soluções baseadas nas práticas e nos princípios pioneiros da psicologia natural, por forma a minimizar o seu impacto nestas pessoas.

Neste livro desafios e soluções para cada um dos mesmos são apresentados de forma fácil e simples de utilizar. Podem ser consultados e postos em prática por qualquer leitor.

#18 - Pistas Literárias

Pistas:

      - O autor é um jovem escritor norte-americano, formado em Economia e Ciências Políticas. Este é o primeiro livro de uma trilogia, e foi considerado um dos melhores livros de 2014 pela Amazon e por diversos órgãos de comunicação social.

    -  A ação decorre numa altura em que a humanidade começou a colonizar outros planetas, como Marte.

     - O protagonista é um jovem de 19 anos que pertence à casta mais baixa da sociedade e que vive e trabalha no subsolo marciano com a missão de preparar a superfície do planeta para que futuras gerações de humanos possam lá viver. No entanto, descobre que ele e os companheiros foram enganados pelas castas superiores, e está disposto a sacrificar tudo para fazer justiça.


Qual é o livro?

Citação do Dia - 19 de agosto de 2016

"A  vida não passa de uma oportunidade de encontro; só depois da morte se dá a junção; os corpos apenas têm o abraço, as almas têm o enlace."
Victor Hugo

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Citação do Dia - 18 de agosto de 2016

"A nossa vida é uma incerteza. Um cego que revoluteia no vazio em busca de um mundo melhor cuja existência é apenas uma suposição."
Virginia Woolf

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

#27 - Curi(livro)sidades

Sabia que...



...o nome do grupo de rock The Doors foi inspirado no livro The Doors of Perception (As Portas da Percepção), do escritor britânico Aldous Huxley? Huxley, por sua vez, tinha-se inspirado num verso de um poema de William Blake, artista e poeta do século XIX: "If the door of perception were cleansed, every thing would appear to man as it is: infinite" ("Se as portas da percepção fossem abertas, tudo apareceria ao homem como realmente é: infinito").


Citação do Dia - 17 de agosto de 2016

"Se a vida não tem preço, nós comportamo-nos sempre como se alguma coisa ultrapassasse, em valor, a vida humana... Mas o quê?"
Antoine de Saint-Exupéry

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Citação do Dia - 16 de agosto de 2016

"A vida é apenas isto: um encadeamento de acasos bons e maus, encadeamento sem lógica, nem razão; é preciso a gente olhá-la de frente com coragem e pensar, mas sem desfalecimentos, que a nossa hora há-e vir, que a gente há-de ter um dia em que há-de poder dormir, e não ouvir, não ver, não compreender nada."
Florbela Espanca

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

#50 - Dá-lhe Letras

Autor: Audrey Carlan

__      R __ __ __ R __ __ __      D __      __ __ __ __ __ D __ R __ __

Qual é o livro?

Citação do Dia - 15 de agosto de 2016

"Antes, a questão era descobrir se a vida precisava de ter algum significado para ser vivida. Agora, ao contrário, ficou evidente que ela será vivida melhor se não tiver significado."
Albert Camus

domingo, 14 de agosto de 2016

Citação do Dia - 14 de agosto de 2016

"Há momentos em que é preciso escolher entre viver a sua própria vida plenamente, inteiramente, completamente, ou assumir a existência degradante, ignóbil e falsa que o mundo, na sua hipocrisia, nos impõe."
Oscar Wilde

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

#17 - Pistas Literárias

Pistas:

      - A autora, inglesa, nasceu em Londres e é jornalista.

     - A protagonista é uma jovem com uma vida banal que nunca saiu da aldeia onde sempre viveu. Quando fica desempregada, vê-se forçada a aceitar um emprego em casa de um homem que, devido a um acidente, vive preso a uma cadeira de rodas.

     - Apesar de o homem para quem trabalha ser temperamental, mordaz e autoritário, a protagonista recusa tratá-lo com complacência, e a felicidade dele acaba por tornar-se muito importante para ela.


Qual é o livro?

Citação do Dia - 12 de agosto de 2016

"O processo de criação não é transparente. Em determinados momentos qualquer coisa em mim - um ritmo, um marulhar de sílabas, imagens - me leva a procurar o papel. De que parte de mim isto vem não sei, é uma necessidade do espírito que subitamente procura tomar expressão."
Eugénio de Andrade

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Novidade da Suma de Letras - "Cartas Por Um Sonho"

Novidade da Suma de Letras Portugal 

Cartas Por Um Sonho




De Ángeles Doñate



Sinopse:


    O Inverno chega a Porvenir e traz com ele uma má notícia: vão fechar a estação de correios e transferir os funcionários para a cidade. Quem necessita de um carteiro num mundo onde já não se escrevem cartas? A comunicação virtual também ganhou a batalha nas montanhas.

     Sara, a única carteira da aldeia, mora em Porvenir com os seus três filhos pequenos. Partilha muitas horas com a sua vizinha Rosa, uma mulher de oitenta anos que estaria disposta a fazer qualquer coisa para evitar que Sara e os filhos sofram.

    Mas o que é que uma mulher com uma idade tão avançada pode fazer para impedir que as vidas das pessoas que mais ama se vejam alteradas? Escrever uma carta, aquela que tem guardada no seu coração há sessenta anos...

     E com este pequeno gesto começará uma corrente de cartas que vai mudar a vida não só de Sara mas de toda a aldeia. Porque a expectativa com que abrimos a caixa de correio é sempre grande e, como sabemos, tal como os beijos, uma carta leva a outra. E podem mudar o mundo.

     Um livro comovente, encantador e cheio de ternura, onde, através da corrente de cartas, vão desfilando personagens do quotidiano, todas elas com os seus sonhos, a sua história e as suas frustrações.

Um romance sobre o poder da amizade.
Uma homenagem às cartas e ao seu poder transformador.

     Ángeles Doñate. Nascida em Barcelona, estudou Jornalismo. A sua paixão pela palavra escrita falada converteu-se em vocação e ofício. Trabalha como responsável de comunicação institucional em entidades sociais e educativas, para além de colaborar em jornais e revistas.

       É autora de ensaios, de um livro de viagens e de alguns romances.




Citação do Dia - 11 de agosto de 2016

"Eu li imensos livros que admirava, e pensei que gostaria de escrever algo do mesmo género algum dia."
Naguib Mahfouz

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

#26 - Curi(livro)sidades

Sabia que...



...o escritor e filósofo francês Jean-Paul Sartre recusou o Prémio Nobel da Literatura, em 1964? Sartre declinou o prémio em 14 linhas e pouco mais de 100 palavras.

Citação do Dia - 10 de agosto de 2016

"Antes do interesse pela escrita, há um outro: o interesse pela leitura. E mal vão as coisas quando só se pensa no primeiro, se antes não se consolidou o gosto pelo segundo. Sem ler ninguém escreve."
José Saramago

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Opinião sobre "Naquela Ilha" - Ana Simão

Naquela Ilha
(Artigo de Opinião)


Autora: Ana Simão
ISBN: 978-989-754-267-1
Nº de páginas: 224
Editora: Marcador 


Sinopse


    
Uma ilha onde nada acontece.

Uma premonição.

Um destino implacável.

Uma jovem apaixonada por um homem mais velho.

Um farol cheio de segredos.

Uma história única.


O que separa o amor do resto do mundo?


Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela Marcador Editora em troca de uma opinião sincera


Opinião


      Começo por agradecer à editora Marcador pelo gentil envio deste livro.

      Ana Simão apresenta-nos "Naquela Ilha", um livro com uma capa bonita e apelativa, e cuja ação se desenrola em território nacional - entre a costa de Peniche e a ilha da Berlenga - e que se foca no romance de Giovana e Leonardo.

    Giovana é uma jovem de vinte e três anos cujo coração pertence à ilha da Berlenga. Dá aulas de mergulho, tentando adiar ao máximo a proposta dos pais para trabalhar como bióloga no estrangeiro, pois não se quer separar da terra que tão bem conhece e que tanto ama. E a paixão por Leonardo vem reforçar os motivos que a prendem àquele local tão belo e puro.

    Leonardo, um homem com quase cinquenta anos, deprimido com o doloroso final de um casamento de vários anos, vê com agrado a possibilidade de se isolar na Berlenga, quando é destacado para trabalhar no farol Duque de Bragança, que fica na ilha. Solitário, vê a sua vida mudar quando conhece Giovana, uma jovem cheia de vida, por quem se apaixona perdidamente.

  A forma como os protagonistas se conhecem é, simultaneamente, improvável e mágica: a atração instantânea que ambos sentem é um pouco forçada e previsível, mas cria uma aura quase mística em torno da relação do casal. O amor que vão construindo é platónico e transmite a ideia de que não existem barreiras no que toca aos assuntos do coração, acabando a história por abordar o tema do preconceito das relações entre duas pessoas com grande diferença de idades. Esse aspeto agradou-me, uma vez que gosto quando os livros trazem uma mensagem subjacente e contribuem para a mudança de mentalidades.

    Paralelamente ao relato do romance, podemos encontrar também vários capítulos dedicados à dissecação da vida dos habitantes da ilha. É exposta, segundo a perspetiva da autora, a forma de pensar e de agir das pessoas que vivem num meio pequeno, isoladas do mundo e que, não contaminadas pela maldade presente na civilização, usam de um trato familiar, têm uma mente simplista e adoram saber - e comentar - da vida dos outros. Estas personagens secundárias, na sua ânsia de participar nas vidas de toda a gente, acabam por interferir várias vezes com a relação dos protagonistas, criando inclusive mal-entendidos desnecessários. Todavia, gostei da presença desta outra componente do livro - a vida da ilha -, pois alivia um pouco a carga do romance entre Giovana e Leonardo, trazendo leveza ao livro.

    Apesar de, desde o início, sermos preparados - através de uma premonição - para o desfecho do livro, fiquei surpreendida com o desenlace algo aberto das personagens e, mesmo não tendo conseguido criar uma empatia especial por nenhuma delas, fiquei satisfeita com o rumo da história e com o que a autora deixa reservado à imaginação do leitor

     Inicialmente, estranhei um pouco o estilo da escrita: causou-me alguma confusão a súbita alternância entre as perspetivas dos protagonistas e entre os  relatos na primeira e na terceira pessoa, sem qualquer marca de separação. A autora repete ainda algumas expressões várias vezes ao longo do livro e, embora se justifique essa repetição em muitas dessas situações, a leitura acaba por tornar-se um pouco cansativa. No entanto, achei positivo o facto de a trama nos ser servida em capítulos curtos.

      Nota-se o trabalho de pesquisa de Ana Simão através dos factos e dados históricos sobre a Berlenga que vamos encontrando entrelaçados na narrativa. Além disso, a forma como os cenários são descritos permite que, mesmo o leitor não conhecendo a ilha, consiga imaginar a beleza dos locais.

    "Naquela Ilha" é a história de um amor proibido, mas é também a história de uma pequena ilha e dos seus interessantes habitantes. Agradável e terno, este livro permite-nos viajar em território português, enquanto mergulhamos num sentimento tão singelo e profundo como o é o verdadeiro amor. Uma boa leitura!

 Música que aconselho para acompanhar a leitura: Love Story_Taylor Swift
(https://www.youtube.com/watch?v=8xg3vE8Ie_E)

Citação do Dia - 09 de agosto de 2016

"Escrever é sempre esconder algo de modo que mais tarde seja descoberto."
Italo Calvino

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

#49 - Dá-lhe Letras

Autor: Kate Morton


__M__R__ __      __ __ __R__T__ __


Qual é o livro?

Citação do Dia - 08 de agosto de 2016

"Escrever é procurar entender, é procurar reproduzir o irreproduzível, é sentir até ao último fim o sentimento que permaneceria apenas vago e sufocador. Escrever é também abençoar uma vida que não foi abençoada."
Clarice Lispector

domingo, 7 de agosto de 2016

Citação do Dia - 07 de agosto de 2016

"Os grandes escritores nunca foram feitos para se submeter à lei dos gramáticos, mas para imporem a sua."
Paul Claudel

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

#16 - Pistas Literárias

Pistas:

       - A autora é americana e nasceu em Washington. Estudou escrita criativa e trabalhou como editora durante cinco anos.

       - Este é o primeiro livro de uma tetralogia.

    - A protagonista, uma cyborg, tem 16 anos e é considerada pela sociedade como um erro tecnológico. É a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim.

     - A madrasta da protagonista entrega-a como cobaia para as investigações clínicas relacionadas com uma peste fatal que há uma década devasta a Terra.


Qual é o livro?

Citação do Dia - 05 de agosto de 2016

"A palavra é a sombra da acção."
Demócrito

Novidade da Quinta Essência - "A Herdeira"

Novidade da Quinta Essência

A Herdeira




De Elizabeth Adler



Sinopse:

Bonita, inteligente, independente, ela tinha tudo até conhecer um homem que não seguia as suas regras

    A jovem Peach de Courmont está de visita à avó Leonie, na Riviera francesa, quando os nazis invadem a França e requisitam o elegante hotel da família.

     A sua meia-irmã Lais, amante de um oficial alemão, recolhe secretamente informações para a Resistência, e Peach segue o seu exemplo, levando mensagens vitais na sua mala.

     Nos Estados Unidos, Noel Maddox é abandonado num orfanato e tem de lutar pelas coisas básicas que Peach toma como certas. Os seus caminhos cruzam-se várias vezes sem grande repercussão, até que, anos mais tarde, Noel é um bem-sucedido executivo da indústria automobilística e Peach, que deixou um casamento sem amor, dirige as fábricas de automóveis De Courmont.

Uma saga de paixão e poder

    Elizabet Adler é britânica. Autora de mais de vinte e dois romances, é reconhecida internacionalmente pelas suas histórias envolventes que combinam de forma magistral mistério, amor e destinos de sonho. Os seus livros estão publicados em vinte e cinco países, com mais de cinco milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.

     Adler e o marido viveram em vários países até que fixaram residência em La Quinta, Califórnia, onde passam dias na companhia dos seus dois gatos.



Opinião da Imprensa:

"Maravilhoso! Uma história fascinante e imprevisível."_The Charlotte Observer


Citação do Dia - 04 de agosto de 2016

"A palavra é o Verbo, e o Verbo é Deus."
Victor Hugo

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Balanço e Aquisições do Mês de Julho (2016)


E no mês de Julho...



...chegaram às estantes...

      Planeta
* A Rapariga do Calendário - Livro 1, de Audrey Carlan;
* A Rapariga do Calendário - Livro 2, de Audrey Carlan;
* A Pirâmide Vermelha, primeiro volume de Crónicas de Kane, de Rick Riordan.

      Marcador
* Naquela Ilha, de Ana Simão;
* A Seleção, primeiro volume da série A Seleção, de Kiera Cass;

     Suma de Letras: 
* Confissões, de Kanae Minato;
* O Diário Secreto de Laura Palmer, de Jennifer Lynch;
* O Homem Que Matou Sherlock Holmes, de Graham Moore.


*Um grande obrigada às editoras por todos estes livrinhos!*

...foram lidos...

* A Rapariga do Calendário: Janeiro, Fevereiro e Março (#1 - A Rapariga do Calendário) | Audrey Carlan *
* A Seleção (#1 - A Seleção) | Kiera Cass *
* Aniquilação (#1 - Área X) | Jeff VanderMeer *
* Naquela Ilha | Ana Simão *
* Anexos | Rainbow Rowell *
* Confissões | Kanae Minato  *

...escreveram-se as opiniões...

O Erro (#2 - Off-Campus) | Elle Kennedy *
Aniquilação (#1 - Área X) | Jeff VanderMeer *
Anexos | Rainbow Rowell *

Citação do Dia - 03 de agosto de 2016

"O mais profundo duma palavra é o que há nela de sagrado. Deus tê-la-á dessacralizado quando com ela criou o mundo. Mas nós sacralizamo-la de novo quando o recriamos com ela."
Vergílio Ferreira

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Opinião sobre "A Seleção" (A Seleção #1) - Kiera Cass

A Seleção
(A Seleção #1)
(Artigo de Opinião)


Autora: Kiera Cass
Título Original: The Selection (2012)
Tradução: Alexandra Cardoso
ISBN: 978-989-754-123-0
Nº de páginas: 292
1ª Edição - Outubro de 2014
Editora: Marcador

Sinopse

     Para trinta e cinco raparigas, A Seleção é a oportunidade de uma vida.

     É a possibilidade de escaparem de um destino que lhes está traçado desde o nascimento, de se perderem num mundo de vestidos cintilantes e joias de valor inestimável e de viverem num palácio e competirem pelo coração do belo Príncipe Maxon.

     No entanto, para America Singer, ser selecionada é um pesadelo. Terá de virar as costas ao seu amor secreto por Aspen, que pertence a uma casta abaixo da sua, deixar a sua família para entrar numa competição feroz por uma coroa que não deseja, e viver num palácio constantemente ameaçado pelos ataques violentos dos rebeldes.

     Mas é então que America conhece o Príncipe Maxon. Pouco a pouco, começa a questionar todos os planos que definiu para si mesma e percebe que a vida com que sempre sonhou pode não ter comparação com o futuro que nunca imaginou.


Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela editora Marcador em troca de uma opinião sincera

Opinião

       Começo por agradecer à Marcador pelo gentil envio do livro "A Seleção", o primeiro volume de uma série composta por cinco livros que decorre numa América futurista, Illéa.

     Primeiramente, não posso deixar de referir o quão maravilhosa é esta capa (e esta lombada!). O vestido, a cor, os espelhos: todos os elementos se conjugam para nos transportar, desde logo, para um mundo de princesas e contos de fadas.

      Em Illéa, uma monarquia em que a sociedade se encontra dividida em castas, o príncipe Maxon Schreave está na idade de casar. Para tal, à semelhança do que aconteceu com o seu pai, organizar-se-á a Seleção, uma espécie de competição entre trinta e cinco mulheres, - uma proveniente de cada distrito - e que culminará com a eleição da futura rainha e mulher do príncipe.
  
     America Singer é uma jovem cantora de dezassete anos, proveniente de uma das castas mais baixas. Mantém um namoro secreto com Aspen, um rapaz de uma casta inferior e, inicialmente, recusa participar na Seleção. Acaba por ir para o palácio, onde planeia aproveitar o conforto e a comida o máximo tempo possível, mas sem pretender fazer qualquer esforço para agradar ao príncipe, pois não tenciona ser a escolhida.

       Mas o que começa por ser um acordo, evolui para uma verdadeira amizade e, talvez, até algo mais. Mas ela ainda não esqueceu Aspen... Será America mandada para casa? E quem irá Maxon escolher?

     Gostei bastante de America. Tem uma personalidade forte, sabe o que quer e não teme dizer o que pensa. Apesar de vir de uma das castas mais baixas - a casta Cinco, a dos artistas -, não se deixa deslumbrar pela vida no palácio nem pelas mordomias que dela resulta. É divertida e preocupa-se com as pessoas, mantendo um espírito humilde. Espero que se conserve assim nos próximos volumes.

   Maxon pareceu-me um rapaz bondoso, mas um pouco ingénuo e inseguro. Sente o peso da responsabilidade e das burocracias por saber que em breve irá governar Illéa, mas percebe-se que não conhece o povo, e as dificuldades por que este passa, como deveria. De certa forma enclausurado no palácio, tem pouco contacto com a realidade da vida fora dele, e chega a ser caricata a falta de jeito quando aborda America.

   Agradou-me o facto de America ir para o palácio previamente apaixonada, e que tenha deixado claras as suas intenções a Maxon desde o início. Porém, acredito que este tenha abalado as suas convicções ao provar-lhe que estava enganada a seu respeito, e que é, afinal, um doce cavalheiro e um futuro monarca que se preocupa com o bem-estar do povo.

      Relativamente a Aspen, o primeiro namorado de America, tenho a dizer que a personagem não me convenceu. Apesar de aparentar uma atitude altruísta, não gostei da forma como se comportou nas (poucas) vezes que apareceu. Além disso, achei um pouco forçada a forma como voltou à história, perto do final do livro.

     As candidatas da Seleção têm personalidades diferentes. No início, é possível notar um clima de alguma tensão entre elas, mas que se vai dissipando à medida que se vão conhecendo melhor. Marlee acaba por tornar-se amiga de America, enquanto Celeste demonstra ser uma pessoa odiosa e mesquinha.

     Este livro é considerado uma distopia, embora, na minha opinião, raramente apresente traços distópicos. Gostava que a autora tivesse explorado melhor o mundo e a história de Illéa, bem como as condições que presidiram à sua formação. Acabamos por só ter um vislumbre do sistema de castas - e das desigualdades sociais que este implica - e dos ataques dos rebeldes, sem nunca chegarmos a perceber completamente quem são e o que os motiva.

     A verdade é que também tive alguma dificuldade em conseguir situar a ação temporalmente: se, por um lado, Illéa é referida como uma América futurista, a ideia contrária é passada através do sistema de castas, da vida no palácio e até dos meios de comunicação.

   A escrita de Kiera Cass é leve e a história exige pouca concentração da parte do leitor, pelo que a leitura rapidamente se torna ávida e viciante. A falta de momentos mais aborrecidos, principalmente devido às peripécias entre America e Maxon e do processo de Seleção, torna difícil pousar o livro e interromper a leitura.

     "A Seleção" oferece-nos uma ponta de um universo de príncipes e princesas, de palácios e contos de fadas, mas num contexto mais atual. Já é possível encontrar, neste primeiro livro, indícios de um triângulo amoroso, que deverá estender-se nos próximos volumes. Espero que o próximo livro colmate as falhas deste, e que se revele uma leitura ainda melhor! Gostei muito e estou pronta para entrar n'A Elite!

 Música que aconselho para acompanhar a leitura: Good For You_Selena Gomez