segunda-feira, 15 de maio de 2017

Opinião sobre "Confissões" - Kanae Minato

Confissões
(Artigo de Opinião)


Autora: Kanae Minato
Título Original: Kokuhaku (2008)
Tradução: Carmo Vasconcelos Romão
ISBN: 978-989-665-106-0
Nº de páginas: 216
Editora: Suma de Letras Portugal


Sinopse


Os alunos assassinaram-lhe a filha.
Esta é a sua vingança.

     Depois de um noivado que acaba em tragédia, tudo o que resta a Yuko Moriguchi é a sua filha, de quatro anos, Manami. Quando esta é encontrada afogada nas piscina da escola, Yuko decide aposentar-se. Mas, antes, deve dar uma última lição.

     Um mês depois do sucedido, a professora Moriguchi, no discurso de despedida à sua turma, acusa dois alunos de lhe terem matado a filha e anuncia a sua vingança pessoal, atroz e imediata, mas concebida de modo a que as devastadoras consequências ocorram lentamente, para que os jovens tenham tempo de se arrepender e passar o resto dos seus dias suportando o peso da culpa.

     Confissões é um romance narrado a várias vozes, magistralmente construído, onde o suspense é mantido até ao fim, quando as diferentes peças se encaixam. Mas é também uma reflexão sobre o sistema educativo, os laços familiares, o comportamento humano, o amor e a vingança.

Este exemplar foi-me gentilmente cedido pela Suma de Letras em troca de uma opinião sincera


Opinião

       Começo por agradecer à Suma de Letras pelo gentil envio do livro.

     "Confissões" foi a minha estreia com uma autora japonesa, e devo confessar que fiquei agradavelmente surpreendida com a sua capacidade de agarrar o leitor, transformando uma história aparentemente banal numa lancinante narrativa sobre vingança, dor, inocência, motivações, justiça, frivolidade e, acima de tudo, sobre desumanidade.

    Tudo começa com o último dia de aulas antes das férias. Os alunos do X ano da professora Yuko Moriguchi estão ansiosos para saírem dali e começarem a gozar oficialmente o descanso merecido, mas a professora ainda tem mais uma história a contar: a história de como a sua filha Manami, uma menina de apenas X anos, morreu. Ou, melhor, foi morta, por dois dos alunos presentes naquela sala, o A e o B. 

   Mas os acontecimentos macabros não terminam por aí. Na verdade, acabaram apenas de começar. Revoltada com a maldade dos alunos, Yuko preparou uma vingança fria e calculada para provocar o maior dano psicológico possível, e que vai, aos poucos, destruindo os seus alvos.

    Poder-se-ia pensar, agora, que o leitor já tem em sua posse todas as informações necessárias para julgar e condenar a atitude desta professora e destes alunos. Dois alunos assustados e uma professora cega pela dor. Mas a verdade... a verdade vai muito além disso e, à medida que se acompanha a destruição de A e B através do relato de várias personagens, vamos tendo uma visão mais clara das personalidades e das razões que deram origem e motivaram as atitudes de cada um. 

   Esta é uma história que tem lugar no Japão, onde existe uma cultura diferente em relação a diversos aspetos, nomeadamente o sistema de ensino, onde é exigido ao professor que desempenhe um papel de quase tutor, libertando os progenitores da maior parte do seu dever parental. Logo aqui, há um confronto de ideias que, aliado à manipulação exercida pelos alunos sobre os professores e à alienação parental, pode chocar. Porém, apesar de este ser um thriller bastante duro, a  violência retratada neste livro pertence ao campo do psicológico, uma vez que são poucas as cenas que envolvem efetivamente brutalidade física. 

   As personagens deste livro são todas bastante frívolas, motivo pelo qual não consegui sentir particular empatia por nenhuma delas. Claro que me compadeci com a dor e o arrependimento de algumas, bem como me revoltei com as atitudes mesquinhas de outras, mas não houve nenhuma que me tocasse especialmente, talvez por neste livro o importante ser a história que une todas as personagens, e não as pessoas em si.

    A escrita deste livro é fantástica! Apesar de inicialmente parecer um pouco estranho, Kanae entrelaça as visões de várias personagens de forma genial, proporcionando ao leitor a oportunidade de analisar os acontecimentos sob múltiplas perspetivas. Temos capítulos da professora, familiares, colegas e dos próprios alunos em questão, sendo que são apresentados pela ordem perfeita para causar o maior impacto no leitor, e todos têm algo de valioso a contar. A opinião que formamos sobre cada personagem vai-se alterando à medida que nos vamos afundando nesta narrativa tétrica e bizarra. Adorei a forma como a autora teceu a história, brincando com o leitor ao fazê-lo pensar ser já detentor de toda a verdade, para depois lhe mostrar que nem tudo é o que parece e que a natureza humana pode surpreender pelos piores motivos.

    "Confissões" é uma procissão de relatos intensos e crus, que vão esclarecendo e dando forma a uma história macabra e brutal. Esta é uma trama densa e negra, que cativa do princípio ao fim, e que expõe a crueldade humana no seu expoente máximo, mas também apresenta o caminho que lhe dá origem. Este é um daqueles thrillers magistrais que acompanham o leitor por muito tempo! 


 Música que aconselho para acompanhar a leitura: Do You No Wrong_Richie Campbell

Sem comentários:

Enviar um comentário